terça-feira, outubro 26, 2004

Vamos abrandar, por favor!

A pressa de chegar, toldava-lhe a visão, o pé insistia em pisar, cada vez mais fundo, cada vez mais forte, o grito do motor crescia até à loucura da velocidade, tinha de chegar, tinha de lá chegar, eram quase as 10h e a reunião fora agendada, o tempo não parava e merda para o trânsito!, merda para este azelha!, esta cidade estava impossível... já não conseguia fazer nada sem andar a correr, até a morte se cansava de correr atrás e não o apanhava, tocava-lhe com os dedos nos cabelos, sentia-lhe o arrepio... desta safei-me!
Acontecia diariamente, mensalmente, anualmente, minutos acumulados de créditos, créditos de vida, o seu saldo há muito ultrapassado, a moral há muito deixada, afinal , vivia nesta selva de betão, era o vencer ou morrer, tudo se justificava, era o andar esperto ou o olhar mortiço dos derrubados.
Agora que o motor calou, e o saldo esgotou, de bolsos vazios de mais tempo, ficara, cheio...

3 Comments:

At 10:51 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Keep up the good work »

 
At 10:52 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Enjoyed a lot! »

 
At 5:31 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Very nice site! Batteries for refrigerators Fitness health uk wellness Free credit report through the federal government Soniq 10 inch dvd player Digital camera flash units Hp desk printers http://www.rhinoplasty-surgeons-in-michigan.info Renoir rose and blue State farm insurance round rock texas

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home